Games and Health | Exploring Game Studies, Communication and Health

Mudanças de sexo

Durante muito tempo a participação feminina nos games foi desconsiderada. Jogos até hoje têm a imagem de um passatempo tipicamente masculino. Portanto, foi uma surpresa quando uma pesquisa, ainda em 2006, demonstrou que não apenas havia jogadoras no mundo dos games, mas quando se considerava os jogos online, dois terços do total de participantes eram do sexo feminino.

Por que então esta população feminina não aparece nos games online, que geralmente mostram um predomínio de personagens masculinos? A resposta é que setenta por cento das mulheres online jogam com avatares masculinos. Embora com certeza haja jogadoras que apenas queiram experimentar o jogo com um personagem masculino, a principal razão da mudança de gênero é evitar constrangimentos e até perseguição online. O sexismo online é bem anterior aos jogos e nos fóruns da internet é que surgiu a infame frase “tits or GTFO”: sempre que um dos participantes se identificava como mulher era intimada a postar fotos dos seus seios ou então cair fora do fórum (“get the fuck off”). Infelizmente este padrão parece ter migrado para os MMORPGs, onde, para fugir do problema, muitas jogadoras já se previnem através de um “anonimato de gênero”, ou seja,  criando um personagem masculino.

Em World of Warcraft ficou famoso o anúncio de três grandes guildas de que não aceitariam mais jogadoras em suas fileiras. Os motivos dados são diversos, como a presença de uma mulher distrair os outros jogadores que se focariam menos no jogo, elas causarem muitos conflitos em busca de privilégios e atenção (as famosas “drama queens”) e, principalmente, a percepção de que muitas jogadoras não são habilidosas o suficiente por carecerem do vigor e da agressividade “típica” dos homens. A suposta meritocracia que recompensaria os melhores jogadores parece não se aplicar ao sexo feminino.

A questão de gênero se complica ainda mais se levarmos em conta que muitos jogadores homens criam personagens femininos. Muitos apenas por diversão, mas uma grande parte deles porque crêem que personagens femininas são mais bem recebidas por outros jogadores, menos criticadas quando cometem erros em jogo e ainda ganham privilégios na hora da distribuição dos tesouros conquistados.

Esta série de estereótipos associados às mulheres na verdade parecem reformulações de preconceitos anteriores nas mais diversas atividades. Argumentos semelhantes surgiram sempre que a mulher entrava em algum campo antes dominado pelos homens. Foi assim com as forças armadas, a política e até com o mero ato de trabalhar fora de casa. Talvez o mundo dos jogos aprenda (como o resto do mundo aprendeu) a ter o devido respeito e acolhimento ao sexo feminino. Enquanto isso não ocorre, vale a pena considerar com atenção como estas transposições afetam (se é que afetam) a noção de identidade do jogador, seja ele (e seu avatar) do sexo masculino ou feminino.

FacebookTwitterGoogle+EmailShare
Back to Top

Write a Comment

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

%d bloggers like this: