Games and Health | Exploring Game Studies, Communication and Health

Jogadores ganham de algoritmos

Foldit ilustra bem a atração dos games e o seu potencial para fins além do entretenimento. O jogo foi idealizado por cientistas e surgiu da necessidade de se projetar novas proteínas através da “dobra” de suas moléculas. Mas operar com inúmeras estruturas complexas tridimensionais gera um enorme trabalho computacional. Foi quando os pesquisadores pensaram em apresentar o problema em formato de jogo gratuito, disponibilizado online. Dessa forma, jogadores competem entre si através da internet para ver quem consegue criar mais estruturas proteícas difenciadas. O detalhe é que estas estruturas são recolhidas pelo site e sua viabilidade é testada, podendo gerar de fato novas proteínas. Os idealizadores do projeto esperam que a contribuição de milhares de jogadores possa ajudar a estreitar a prospecção de novos compostos que poderão auxiliar na cura de doenças como Aids, câncer a Alzheimer.

Na Nature de agosto aparecem os primeiros frutos: um artigo detalha os achados da pesquisa sobre proteínas e contam que no reconhecimento de padrões, os jogadores venceram consistentemente os  algoritmos de manipulação 3D mais avançados. Também é dito que este tipo de abordagem híbrida computacional/humana pode muito bem ser utilizada pelos mais diversos campos que exigem grande quantidade de operações, como a Astronomia. A lista de autores do artigo é bem curiosa:  ela termina incluindo toda a comunidade online que participa do jogo.  Um reconhecimento inesperado para quem jogava Foldit apenas tentando ser o campeão da partida…

FacebookTwitterGoogle+EmailShare
Back to Top

Write a Comment

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

%d bloggers like this: